Bancário mata a esposa na frente da filha no Norte de Minas

Depois de cometer o assassinato, o homem, de 35 anos, tirou a própria vida. As causas para o crime ainda estão sendo investigadas pela Polícia Civil

Um crime bárbaro chocou os moradores de Januária, na Região Norte de Minas Gerais. Um bancário, de 35 anos, assassinou a companheira, de 38, na madrugada desta quinta-feira, dentro de uma casa. O crime aconteceu na frente da filha, de 11, do casal. A garota foi encontrada desesperadas por vizinhos. Um inquérito foi instaurado para investigar o feminicídio.

O crime aconteceu por volta das 5h. A Polícia Militar (PM) foi acionada por vizinhos que escutaram o barulho de tiros vindo do apartamento do casal, localizado na Rua Padre João Maria, no Centro da cidade. Quando os militares chegaram ao local, encontraram com a filha do casal desesperada e contando que o pai tinha matado a mãe e se matado.

De acordo com a PM, Thagore Bornw Cavalcante, foi até o quarto da filha, onde Edicreuza Pereira Barbosa, de 38, dormia, armado com um revólver. Em seguida, atirou seis vezes contra a companheira, que morreu na hora. Em seguida, ele foi até a cozinha, onde se matou.

O casal chegou na cidade há menos de dois meses. Eles são naturais de Pernambuco. Testemunhas contaram aos militares que eles estavam em processo de separação.
Continua depois da publicidade

Depressão

Segundo a PM, Thagore tinha depressão. Ele fazia uso de medicamentos, mas suspendeu as medicações por conta própria. Por causa disso, o seu quadro se agravou. A atitude do companheiro teria desapontado Edicreuza que já se preparava para voltar para a cidade natal.

O caso está sendo investigado pela delegada Bruna Jhyesse, da delegacia de Mulheres da cidade. A perícia foi feita no apartamento do casal e a arma do crime foi apreendida. Os corpos foram encaminhados para o Posto Médico Legal da cidade.

Violência contra a mulher

O crime de feminicídio vem aumentando em Minas Gerais. Dados apurados pelo Estado de Minas junto à Polícia Civil mostram que 64 mulheres perderam a vida no primeiro semestre de 2019 contra 62 no ano passado. Em Belo Horizonte, seis mulheres foram mortas no período relacionado a esse ano. De janeiro a junho de 2018, duas morreram. No entanto, os feminicídios tentados apresentaram queda: 126 de janeiro a junho de 2018 e 104 em 2019.

Os dados de violência doméstica em Minas Gerais também assustam. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Civil computou 73.457 ocorrências deste tipo. No ano passado, foram 71.406, ou seja, houve aumento de 2,8%. Os dados mostram que 17 mulheres foram agredidas por hora no estado entre janeiro e junho de 2019. Em Belo Horizonte, onde os dados diminuíram de 9.003 para 8.962, duas mulheres foram agredidas por hora.
Via Jornal Estado de Minas

Deixe um comentário