Áudios vazados movimentam campanha em Lontra

 Num deles, o candidato Evando Gonçalves diz que vai implantar o sistema de rachadinha, caso eleito

No mesmo dia em que o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o senador Flávio Bolsonaro como líder da organização criminosa e o ex-assessor Fabrício Queiroz como o operador do esquema de corrupção que funcionava no antigo gabinete na Assembleia Legislativa – conhecido como rachadinha – o ex-prefeito de Lontra e candidato novamente ao cargo, Evando Gonçalves, teve áudio vazado em que cometeria crime eleitoral.
Evando, que já foi preso por corrupção – crime de improbidade administrativa cometido quando foi prefeito da cidade -, prometeu secretarias para seus aliados, desde que uma parte dos salários vá para seu bolso (ouça o áudio abaixo).

No suposto áudio “vazado”, o candidato comenta que ofereceu duas secretarias para o DEM, comandado por Ildeu Reis Pinto, em troca do seu apoio político. O irônico é que Ildeu, que também já foi prefeito de Lontra e igualmente condenado (pena de prestação de serviços, por desvio de dinheiro público), desaconselha o voto em Evando, por, segundo ele, o candidato ser um político em fim de carreira. (Ouça aqui o áudio).

Recentemente, a professora e ex-primeira-dama Nely Souza Pinto, esposa de Ildeu, foi massacrada por uma eleitora, que questionou a incoerência política do seu esposo e do seu grupo político. A conversa resvalou para a questão pessoal, com a eleitora chegando ao ponto de citar suposta infidelidade conjugal, o que deixou a ex-primeira-dama engasgada. (ouça aqui).

Os áudios não param por aí. Um comerciante de Montes Claros, do ramo de marmoraria, cobra de Evando Gonçalves o pagamento do mármore adquiridos para sua mansão. O imóvel, aliás, estaria penhorado.

Além de Evando e Ildeu, João Neto é outro ex-prefeito de Lontra, também preso por corrupção, que estaria no mesmo palanque de Gonçalves. No caso dele ainda não apareceu nenhum áudio dando conta do valor cobrado para adesão à campanha.

O EM CIMA DA NOTÍCIA tentou falar com Evando, Ildeu, João Neto e Nely, mas nenhum deles foi encontrado. Este espaço está aberto para qualquer esclarecimento por parte dos citados, através do e-mail: noticias@emcimadanoticia.com

Enquanto isso, Eudes Tarley renuncia para apoiar Dernival

Em sua conta no facebook, ele comunica que renunciou à candidatura em favor do atual prefeito Dernival Macarrão. A decisão teria sido motivada por sua insatisfação com a postura de Evando Gonçalves, que estaria assediando seus apoiadores, com a intenção de desarticular seu grupo.
“Passando aqui pra deixar os nossos esclarecimentos sobre a nossa decisão. Caminhei por 12 meses nos quatro cantos do nosso município levando a nossa ideia de renovação. Consolidamos um grupo que admiro muito. Nossos candidatos a vereadores sendo assediados a todo instante por um ex-prefeito com ofertas para desarticular nosso grupo”, denunciou na postagem.
“Diante dos atos de covardia desse ex-prefeito, que ajudei por três eleições e devido às chances reais de vitória, conforme as pesquisas, decidimos apoiar o 55 para não deixar os velhos voltarem. Um homem ficha limpa e que vai encaixar as nossas ideias junto ao seu plano de governo”, justificou.
Segundo Eudes Tarley, é necessário evitar a volta da velha política, envolta em mentiras “para atrapalhar os sonhos do nosso povo Lontrense”. De acordo com ele, o prefeito Dernival lhe deu total autonomia para buscar recursos para o hospital de pequeno porte de Lontra.
“Vamos juntos lutarmos por uma Lontra mais justa. Muita coisa tem que mudar e estarei junto com ele, buscando recursos para fazer Lontra crescer cada vez mais”, escreveu o ex-candidato.

Deixe um comentário