PG usa e abusa com a verba indenizatória

     - Paulo Guedes gasta R$ 131 mil de sua verba indenizatória em locadora de aliado político -


    O deputado estadual Paulo Guedes (PT) utilizou, de janeiro de 2016 a julho deste ano, R$ 131 mil de verba indenizatória para custear o gasto com locação de veículos para o gabinete parlamentar. Curiosamente, a empresa responsável por prestar esses serviços pertence a um aliado dele no Norte do Estado, Lindomar Correia de Silva, mais conhecido como Correinha.
    O site da Receita Federal mostra que Correinha é um dos sócios da Locadora e Construtora Shalon LTDA., que fica no município de Jaíba. O empresário, que também é filiado ao PT, é ex-vereador da cidade e disputou nas últimas eleições o comando da Prefeitura de Jaíba. Ele não foi eleito, mas contou com o apoio de Guedes.
    Além disso, Correinha é visto como uma forte liderança política do Norte do Estado, região que é base eleitoral do parlamentar. Guedes foi o deputado estadual mais votado nas eleições de 2014, recebendo 164.831 votos. Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral de Minas (TRE-MG), 157.107 desses votos vieram das urnas do Norte do Estado.
    Cada um dos 77 deputados estaduais têm direito a R$ 27 mil, por mês, de verba indenizatória. Podem ser indenizados gastos como locação de imóvel, serviços de consultoria e locação de veículos. Entre janeiro de 2016 e abril deste ano, Paulo Guedes repassava mensalmente a quantia de R$ 6.000 para a locadora de Correinha. Nos meses de maio e junho deste ano o valor subiu para R$ 12 mil mensais, e em julho o montante foi de R$ 11 mil.
    A assessoria de imprensa de Guedes informou que, atualmente, duas caminhonetes do modelo Hilux são disponibilizadas pela empresa, sem motorista incluso. De acordo com a nota, o deputado escolheu contratar a empresa de Jaíba porque, diante de uma pesquisa de preços realizada em Belo Horizonte e na região do Norte de Minas, a Locadora Shalon foi a que apresentou o menor preço.
    A assessoria ressaltou que em orçamento feito no dia 17 de agosto ainda era possível observar que os valores cobrados pela empresa de Correinha estão abaixo dos verificados no mercado. O orçamento mostra que duas outras empresas de locação de veículos cobram entre R$ 7.260 e R$ 11.361,17 pelo aluguel mensal de um veículo semelhante ao que é utilizado pelo deputado.
    Questionada se não há nenhum constrangimento em fechar negócio com o estabelecimento de um aliado, a assessoria negou. “Não há nenhum constrangimento quando o principal critério de contratação foi o menor preço. Ademais, não há qualquer impedimento legal na contratação da empresa Shalon, que é uma empresa idônea e cujo processo está totalmente amparado nas normas aplicáveis à verba indenizatória”, diz a nota.
    A coluna também indagou a assessoria sobre o fato de o montante repassado para a empresa ter crescido nos últimos três meses. Segundo a pasta, a principal área de atuação do deputado é o Norte de Minas, que possui mais de cem municípios e uma grande extensão territorial. Também é citado que o acesso às cidades e aos principais distritos é, na maioria das vezes, “extremamente precário”.
    “Diante da extensa agenda na região, tanto do próprio deputado como de assessores, que precisam representá-lo em várias atividades, houve a necessidade, a partir do mês de maio, da locação de mais um veículo para atender o mandato parlamentar”, afirmou a pasta. A assessoria ainda explicou que a escolha pelo tipo de veículo locado, picape 4x4, se dá pelas condições das estradas da região: “Só para se ter uma ideia, em apenas um dia, o deputado chega a percorrer 400 quilômetros de estradas de terra, como ocorreu na última terça-feira, durante atividades nos principais distritos de Januária”. (Fransciny Alves)

    Jornal O Tempo

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper