Médicos fantasmas estão com os dias contados

     - Prefeitura abre processo contra vários médicos -  A Prefeitura de Montes Claros pode expulsar 12 médicos acusados de não cumprirem o horário de trabalho, conforme Processo Administrativo Disciplinar, divulgado no Diário Oficial do Município de ontem,...

    Dia da árvore também é dia conscientização

    - Data será celebrada com ações que visam conscientização e preservação em Montes Claros - Projeto “Crescendo Juntos” é o maior incentivador para aumentar o reflorestamento da cidade - O Dia da Árvore é comemorado em 21 de setembro e é o momento...

    Autorizada ponte entre Pintópolis e São Francisco

     - Pimentel atende demanda antiga de moradores da região. Obra deverá ter a licitação publicada ainda nesta semana -  O governador Fernando Pimentel assinou nesta terça-feira (19/9) despacho que determina que o Departamento de Edificações e Estradas...

    Deputado critica governo pela crise hídrica em Minas

    Dr. Jean Freire pediu audiência pública para debater a falta de estruturação dos comitês de baciais hidrográficas no Estado A pedido do deputado Dr. Jean Freire (PT), será realizada, nesta quinta-feira (21), uma audiência pública para debater a crise...

    2018 sem candidatura Lula é ilegitimidade pré-urna

     O jornalista Fernando Brito, doTijolaço, repercute a pesquisa do Instituto Paraná que mostra que 62,8% dos brasileiros não querem veem ninguém capaz de substituir Lula no pleito presidencial de 2018. "Esta é a regra básica: não se decide – sejam...

    separador 1

    Notícias locais

     - Prefeitura abre processo contra vários médicos -  A Prefeitura de Montes Claros pode expulsar 12 médicos acusados de não cumprirem o horário de trabalho, conforme Processo Administrativo...
    - Data será celebrada com ações que visam conscientização e preservação em Montes Claros - Projeto “Crescendo Juntos” é o maior incentivador para aumentar o reflorestamento da cidade - O Dia da...
    Mais emNotícias Locais  

    Notícias regionais

     - Pimentel atende demanda antiga de moradores da região. Obra deverá ter a licitação publicada ainda nesta semana -  O governador Fernando Pimentel assinou nesta terça-feira (19/9) despacho que...
    Dr. Jean Freire pediu audiência pública para debater a falta de estruturação dos comitês de baciais hidrográficas no Estado A pedido do deputado Dr. Jean Freire (PT), será realizada, nesta...

    Notícias nacionais

     O jornalista Fernando Brito, doTijolaço, repercute a pesquisa do Instituto Paraná que mostra que 62,8% dos brasileiros não querem veem ninguém capaz de substituir Lula no pleito presidencial de...
     - Nomeada com a bênção de Gilmar Mendes, o principal aliado de Temer dentro do STF, secundado por Alexandre de Moraes, Dodge é a principal moeda de troca que o governo ofereceu aos seus aliados - *...

    separador 1

    Mundo

    Thumbnail  - No poder devido a um golpe de Estado que destituiu a presidente legitimamente eleita, Michel Temer saiu de um jantar com o presidente americano, Donald Trump, realizado ontem em Nova York,...
    Mais emMundo  

    Esportes

    Thumbnail  Corte de verbas da Petrobras deixa atletas olímpicos sem R$ 1,5 milhão em recursos desde agosto de 2016; Além do judô, a Petrobrás cortou o patrocínio aos atletas do boxe, esgrima, remo,...
    Mais emEsportes  

    Segurança Pública

    Thumbnail  Mesmo com uma série de provas vivas de malas de dinheiro, principalmente do PMDB e do PSDB, com uma escancarada comprovação da manipulação de delações pelo Sr. Moro, o foco continua somente contra...

     

    separador blogosfera

    Temer não é audacioso, e sim oportunista

     LE MONDE: BRASIL COMPLETA UM ‘ANO HORRÍVEL’ DE TEMER NO PODER

     O jornal Le Monde desta terça-feira, 16, traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil; em texto de uma página, o jornal diz que Temer "tem dificuldade para impor sua legitimidade"; "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado"; jornal francês diz que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruindo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político; "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto


    Rádio França Internacional - O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta terça-feira (16) traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil. Com a chamada de capa "O ano horrível de Temer", a correspondente do vespertino em São Paulo faz um balanço do mandato desse "chefe de Estado acidental" que, segundo o texto, mergulha o país em uma profunda desordem.

    Um ano após ter substituído a presidente de esquerda Dilma Rousseff, Michel Temer, que é "motivo de chacota por seu excesso de solenidade, tem dificuldade para impor sua legitimidade", explica o jornal. "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado", continua o vespertino.

    Para explicar esse contexto, a correspondente traça um perfil do atual presidente, lembrando que ele "representa melhor que ninguém a elite paulista". O texto qualifica Temer, ex-presidente da Câmara dos deputados e professor de direito constituicional de refinado, erudito, fã de poesia, e que usa sempre um vocabulário preciso. "Um aristocrata, que representa o oposto de Lula, o 'pai dos pobres', querido dos mais humildes e que adora pontuar seus discursos com metáforas futebolísticas", compara.

    Do lado político, Le Monde explica que o atual chefe de Estado é um especialista das negociações entre partidos, das alianças e das intrigas. Segundo o vespertino, Temer não é audacioso, e sim oportunista. Ao sentir que a rua começava a protestar contra Dilma, ele se afastou da presidente, se isentando de qualquer responsabilidade nos erros da então chefe de Estado, explica o texto.

    "Traidor para alguns, salvador da Pátria para outros, Temer prometeu, em seu primeiro discurso, reconciliar um Brasil castigado pelo impeachment. Mas seus primeiros passos foram apocalípticos", lembra a correspondente, frisando que o governo do novo presidente era composto apenas por homens, brancos e idosos, projetando uma imagem ultrapassada. Sem esquecer a polêmica tentativa de acabar com o ministério da Cultura e suas declarações desastrosas sobre as mulheres, que irritaram os feministas, enumera o texto.

    Mês após mês, a magra popularidade do presidente desmorona ao ponto de se aproximar de sua antecessora, constata a correspondente, lembrando que os muros das grandes cidades estão repletos de pichações "Fora Temer". Mesmo assim, o chefe de Estado não parece se incomodar, comenta a reportagem. Ele se sentiria apoiado pelo mundo dos negócios de direita para implementar seu impopular programa de reformas estruturais, como a da aposentadoria ou ainda o congelamento dos gastos públicos do país, continua o texto.

    A reportagem lembra que Temer não pretende se candidatar em 2018 e explica que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruíndo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político. "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto.

    Leia na íntegra reportagem do Le Monde.

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper