Nova fase da Educação Mercadoria

     Elite troca a tradição e excelência por “serviços educacionais”, vendidos como resortes ou bancos “prime”. Neste tipo de educação, não se busca formar seres humanos, mas patrões.  Foi-se o tempo em que pais de classe média e alta escolhiam escolas...

    Guerrilha da desinformação - Por Felipe Gabrich

     Se não tem acesso à informação, seja por falta de tempo ou de dinheiro, o cidadão brasileiro tem que exercitar a percepção e a observação.  Aprender a ver o que se passa ao seu redor.Por exemplo: não causa espécie, ou não é estranho, à opinião...

    O que vale para o Aécio não vale para o Picciani

     TRF determina que Picciani, Albertassi e Melo voltem para a prisão  Picciani é o homem do Aezão: um voto no Aécio, outro no Pezão do Jornal do Brasil O Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região determinou nesta terça-feira (21), em sessão...

    Golpe fez desemprego bater o recorde entre os jovens

     - COM TEMER, DESEMPREGO DE JOVENS NO BRASIL É O MAIOR EM 27 ANOS -  O desemprego entre os jovens no Brasil atinge sua maior taxa em 27 anos. Dados apresentados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) apontam que, ao final de 2017,...

    Janaúba não recebeu nenhuma ajuda de Temer

     Golpista não cumpriu com a promessa que fez para as famílias da tragédia da creche de Janaúba  O governo ilegítimo de Michel Temer não cumpriu com a promessa de liberar R$ 8,7 milhões para ações de apoio à tragédia ocorrida na creche em Janaúba, na...

    separador 1

    Notícias locais

     - Dia da Consciência Negra - Evento celebrará a cultura afro -  Nesta segunda-feira, 20, é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra. O dia é atribuído à data da morte de Zumbi dos Palmares,...
     - Alimentação Escolar, Multimeios Didáticos e Auxiliar de Secretaria -  Uma parceria entre a Prefeitura de Montes Claros e o Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) possibilitou a formação de...
    Mais emNotícias Locais  

    Notícias regionais

     Golpista não cumpriu com a promessa que fez para as famílias da tragédia da creche de Janaúba  O governo ilegítimo de Michel Temer não cumpriu com a promessa de liberar R$ 8,7 milhões para ações de...
    Lamentavelmente, temos que reconhecer: não estamos conseguindo corrigir os erros históricos do passado!   * Por Marcelo Eduardo Freitas Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul e nobel da paz de...

    Notícias nacionais

     Elite troca a tradição e excelência por “serviços educacionais”, vendidos como resortes ou bancos “prime”. Neste tipo de educação, não se busca formar seres humanos, mas patrões.  Foi-se o tempo em que...
     Se não tem acesso à informação, seja por falta de tempo ou de dinheiro, o cidadão brasileiro tem que exercitar a percepção e a observação.  Aprender a ver o que se passa ao seu redor.Por exemplo: não...

    separador 1

    Mundo

    Thumbnail  Parlamentares do Mercosul defendem legado do educador e pensador brasileiro mais reconhecido mundialmente  Os métodos educacionais de Paulo Freire contribuíram e contribuem decisivamente para os...
    Mais emMundo  

    Esportes

    Thumbnail  - Não escaparam nem mesmo grandes grupos de imprensa do Brasil e América Latina, citados pela única testemunha ouvida até agora como parte de um esquema de corrupção. No caso da TV Globo, ela foi...
    Mais emEsportes  

    Segurança Pública

    Thumbnail  Nem a uma morta, a inocência. Juízes pequenos, grandes ódios Texto imperdível de Joaquim de Carvalho, no Diário do   Centro do Mundo Marisa Letícia: Decisão do tribunal é indigna e viola direito...

    www.autopecasONLINE24.pt

     

    separador blogosfera

    Temer não é audacioso, e sim oportunista

     LE MONDE: BRASIL COMPLETA UM ‘ANO HORRÍVEL’ DE TEMER NO PODER

     O jornal Le Monde desta terça-feira, 16, traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil; em texto de uma página, o jornal diz que Temer "tem dificuldade para impor sua legitimidade"; "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado"; jornal francês diz que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruindo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político; "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto


    Rádio França Internacional - O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta terça-feira (16) traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil. Com a chamada de capa "O ano horrível de Temer", a correspondente do vespertino em São Paulo faz um balanço do mandato desse "chefe de Estado acidental" que, segundo o texto, mergulha o país em uma profunda desordem.

    Um ano após ter substituído a presidente de esquerda Dilma Rousseff, Michel Temer, que é "motivo de chacota por seu excesso de solenidade, tem dificuldade para impor sua legitimidade", explica o jornal. "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado", continua o vespertino.

    Para explicar esse contexto, a correspondente traça um perfil do atual presidente, lembrando que ele "representa melhor que ninguém a elite paulista". O texto qualifica Temer, ex-presidente da Câmara dos deputados e professor de direito constituicional de refinado, erudito, fã de poesia, e que usa sempre um vocabulário preciso. "Um aristocrata, que representa o oposto de Lula, o 'pai dos pobres', querido dos mais humildes e que adora pontuar seus discursos com metáforas futebolísticas", compara.

    Do lado político, Le Monde explica que o atual chefe de Estado é um especialista das negociações entre partidos, das alianças e das intrigas. Segundo o vespertino, Temer não é audacioso, e sim oportunista. Ao sentir que a rua começava a protestar contra Dilma, ele se afastou da presidente, se isentando de qualquer responsabilidade nos erros da então chefe de Estado, explica o texto.

    "Traidor para alguns, salvador da Pátria para outros, Temer prometeu, em seu primeiro discurso, reconciliar um Brasil castigado pelo impeachment. Mas seus primeiros passos foram apocalípticos", lembra a correspondente, frisando que o governo do novo presidente era composto apenas por homens, brancos e idosos, projetando uma imagem ultrapassada. Sem esquecer a polêmica tentativa de acabar com o ministério da Cultura e suas declarações desastrosas sobre as mulheres, que irritaram os feministas, enumera o texto.

    Mês após mês, a magra popularidade do presidente desmorona ao ponto de se aproximar de sua antecessora, constata a correspondente, lembrando que os muros das grandes cidades estão repletos de pichações "Fora Temer". Mesmo assim, o chefe de Estado não parece se incomodar, comenta a reportagem. Ele se sentiria apoiado pelo mundo dos negócios de direita para implementar seu impopular programa de reformas estruturais, como a da aposentadoria ou ainda o congelamento dos gastos públicos do país, continua o texto.

    A reportagem lembra que Temer não pretende se candidatar em 2018 e explica que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruíndo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político. "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto.

    Leia na íntegra reportagem do Le Monde.

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper